Fitossociologia do componente arbóreo e florí­stica de um remanescente de cerrado sentido restrito contí­guo a áreas de agricultura na porção leste do Distrito Federal, Brasil

Autores

  • Márcio Honorato Fernandes Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
  • Vanessa Pozzi Zoch Universidade de Brasí­lia
  • Renata Alves Mata Universidade de Brasí­lia
  • Bruno Machado Teles Walter Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

DOI:

https://doi.org/10.17648/heringeriana.v7i1.1

Palavras-chave:

Cerrado stricto sensu, Distrito Federal, florí?­stica, fitossociologia

Resumo

Na década de 1970 a região leste do Distrito Federal (DF) foi ocupada por grandes cultivos  agrí­colas, restando hoje poucos remanescentes com vegetação nativa. Em um trecho de reserva, com cerca  de 85 ha de cerrado sentido restrito naquela região (15í°45'13" - 15í°45'30"S; 47í°33'55" - 47í°32'60"W),  contí­gua   áreas agrí­colas, foram feitas coletas florí­sticas esporádicas entre 2009 e 2011. Em 2010 foi  realizado um levantamento fitossociológico do estrato arbóreo, alocando-se aleatoriamente 10 parcelas de  20 m x 50 m. Foram amostrados todos os indiví­duos com diâmetro, medido a 30 cm do solo, ââ?°¥ 5 cm. No  inventário florí­stico foram encontradas 251 espécies, distribuí­das em 157 gêneros e 59 famí­lias, das quais  Fabaceae, Asteraceae e Malpighiaceae foram as mais ricas. Arbustos predominaram, seguidos por árvores,  subarbustos, ervas, trepadeiras e  emiparasitas. Na fitossociologia foram amostradas 72 espécies, 53 gêneros  e 33 famí­lias. Fabaceae e Vochysiaceae foram as mais ricas. A densidade de plantas vivas foi de 1.584 ind./ha, com área basal de 13,96 mí²/ha. Excluindo-se o grupo das árvores mortas (o maior VI), as 12 espécies mais  importantes representaram 50,8% da comunidade, destacando-se Qualea parviflora e Q. grandiflora. Apesar  da alta riqueza a diversidade foi baixa (H' = 3,18; J' = 0,74), quando comparada a outras áreas de mesma  fisionomia no DF. Embora antropizada e imersa numa matriz agrí­cola, a reserva estudada ainda mantém  elementos florí­sticos comuns a outras áreas mais preservadas, e conserva espécies cujas populações já foram  extintas em outras localidades do DF e entorno.

Biografia do Autor

Márcio Honorato Fernandes, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Engenheiro Florestal

Vanessa Pozzi Zoch, Universidade de Brasí­lia

Engenheira Florestal

Renata Alves Mata, Universidade de Brasí­lia

Bióloga, doutora em Ecologia

Bruno Machado Teles Walter, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Engenheiro Florestal e Agrônomo, doutor em Ecologia

Downloads

Publicado

2014-10-02

Como Citar

Fernandes, M. H., Zoch, V. P., Mata, R. A., & Walter, B. M. T. (2014). Fitossociologia do componente arbóreo e florí­stica de um remanescente de cerrado sentido restrito contí­guo a áreas de agricultura na porção leste do Distrito Federal, Brasil. Heringeriana, 7(1), 7–31. https://doi.org/10.17648/heringeriana.v7i1.1

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.